Pesquisadores da UEL produzem biomassa a partir de microalgas

Pesquisas de professores e estudantes do Centro de Ciências Agrárias (CCA) da Universidade Estadual de Londrina (UEL) constataram a viabilidade da produção de biomassa a partir do cultivo de microalgas. A biomassa obtida a partir deste método é a matéria-prima para produtos diversos como biocombustível, aditivo para ração animal, cosméticos e alimentos funcionais.

O tema foi estudado pelo aluno de pós-doutorado em Bioenergia, da Universidade Estadual de Londrina (UEL), Helder Rodrigues da Silva, que desenvolveu uma pesquisa de doutorado para o Programa de Pós-Graduação em Agronomia do Centro de Ciências Agrárias (CCA), estudando diferentes sistemas de cultivo de microalgas.

O pesquisador explica que a partir do cultivo de microalgas, é possível produzir biocombustível, aditivo para ração animal, cosméticos e alimentos funcionais. “A otimização do meio de cultivo é uma estratégia para aumentar a produtividade, gerando um sistema de baixo custo”, afirma Silva.

A tese foi orientada pelo professor do Departamento de Agronomia, Cassio Cavenachi Prete, que explica que o maior problema do estudo era a possibilidade de contaminação da cultura de microalgas, principalmente por passarinhos.

“Um problema sério é a contaminação. Quando ocorre a contaminação dos tanques, a microalga precisa ser desprezada. Nas primeiras vezes, tivemos vários problemas e foi necessário descartar tudo e começar do zero”, conta o professor.

Por isso, o sistema de cultivo das microalgas foi alterado para os bolsões, mecanismo que reduz a possibilidade de contaminação. Esse sistema ainda vai ser instalado e a previsão é até o final do primeiro semestre deste ano. “A montagem e a manutenção são um gargalo [por causa da falta de pessoal]”, afirma Prete.

Conforme os estudos, a produção de biomassa foi de dois gramas por litro em um ciclo de 21 dias, período de cultivo. O teor de óleo verificado no produto gerado pela microalga ficou entre 18 e 22%, o que revela alto potencial para a produção de biodiesel.

Apesar de não ter, no momento, sistema de cultivo de microalgas, a biomassa produzida em anos anteriores está armazenada e pode ser usada em outros experimentos. Inclusive é esse material que Helder utiliza no seu pós-doutoramento.

Fonte: Agência UEL de Notícias

Mais Textos Smart Energy:

No Blog Smart Energy você encontra notícias sobre o setor de energias e também artigos científicos desenvolvidos por especialistas na área